Páginas

Vips´

1 de ago de 2015

BLOGUEIRO PEREIRA EM RESPOSTA A "REJANE LEITE"


Estou nesse barco há anos "Rejane", não penso em mudanças (deixar barco), nem muito menos comer vômito, lamento por aqueles que deixaram os Araújos , detonando os Araújos e Webas, (vomitando), e agora no meu entendimento levam ao estômago algo que jamais se imaginaria. De coração sei que não é, mas, porem, contudo, entretanto....cada um responde por si. Mais uma vez o time que valoriza a moral e os bons costumes, e que libertou Presidente Médici, do atraso, opressão, descaso, infâmia, desrespeito, xacota etc...vai sair vitorioso dessa nova tentativa de se retornar à era das falsas acusações, deboches, foguetes estourando sobre o telhado de quem não apóia e  cartas anônimas denegrindo a imagem das pessoas de bem do nosso município. A grande maioria do nosso povo quer (indiscutível), e quando isso ocorre a vitória é certa Rejane.
 
Um novo desafio está às portas: Retomar o estado democrático do nosso município, já que a gestora atual usou do mesmo método de grupos anteriores, tratando nossa gente com discriminação, intimidação, transferências e demissões.
 
Presidente Médici precisa mudar e vai mudar. A economia do município vai ser reaquecida novamente, já que atualmente esta em marcha ré. O grupo do ex-prefeito Antônio da Paraense, está se articulando, mobilizando para mais uma vez tirar a cidade do atraso.
 
Que venha 2016!!!

31 de jul de 2015

Governador e Presidente da ANP confirmam 22 novos blocos de exploração de gás no Maranhão

31
jul
Governador Flávio Dino e a presidente da ANP, Magda Chambriard, em reunião no Palácio dos Leões
Governador Flávio Dino e a presidente da ANP, Magda Chambriard, em reunião no Palácio dos Leões

O governador Flávio Dino e a presidente da Agência Nacional do Petróleo, Magda Chambriard, oficializaram nesta sexta-feira (31) mais 22 blocos de exploração de gás natural no Maranhão. Através de leilão que acontecerá em outubro deste ano, as cidades entre Alto Alegre e Arame, São Luiz Gonzaga e Buriti Bravo, além de Riachão a São Benedito do Rio Preto integrarão áreas para exploração do minério.
 
Considerada uma das maiores vertentes de produção do Maranhão para os próximos anos, a exploração de gás natural se consolida no Maranhão com a inclusão dos novos 22 poços na 13ª rodada de licitações da ANP, que acontecerá em outubro no Rio de Janeiro e contará com investidores do Brasil e do exterior. O bloco maranhense corresponde a 15.483 km² de extensão.
 
Para o governador do Maranhão, além de uma matriz econômica que já se consolida e vem crescendo no Estado, a exploração e produção de gás natural no Maranhão poderá ser um grande impulsionador da melhoria socioeconômica, com a instalação de novos investimentos no Estado e geração de emprego para os maranhenses.
 
“O que o Governo do Estado está atento desde já é fazer com que esses investimentos se transformem em desenvolvimento social, gerando emprego e renda para os maranhenses e não apenas para mão de obra de outros estados. Além, claro, de impulsionar a instalação de novas empresas, promovendo ambiente institucional saudável para investidores”, destacou.
No diálogo entre o governador e a presidente da ANP, foi destacado que o Governo do Maranhão vai promover a qualificação da mão de obra local para todas as fases de instalação da exploração, que vai desde as prospecções do gás, até a construção dos gasodutos e a operação do empreendimento, quando consolidado.
 
Governador Flávio Dino e a presidente da ANP, Magda Chambriard
Governador Flávio Dino e a presidente da ANP, Magda Chambriard
Magda Chambriard afirmou que essa garantia é importante para o Brasil, pois a ANP “considera o Maranhão a nova fronteira para a exploração do gás, com espaço para novos conhecimentos geológicos e para mais investimentos em tecnologia e conhecimento”. Segundo ela, o Maranhão tem cada vez mais destaque no cenário nacional e deve se fortalecer no mercado de exploração durante os próximos dez anos.
 
O deputado federal José Reinaldo Tavares participou do evento e comentou a nova conquista para o Maranhão: “Esse é um trabalho que acompanhei quando fui governador e vejo, com alegria, que o atual governo trata o assunto com a seriedade que ele requer. Vamos trabalhar juntos para a consolidação”, disse.
 
No Maranhão, os trabalhos são coordenados pela Secretaria de Estado das Minas e Energia, gerido por Crisálida Fonseca, que esteve presente no anúncio e comemorou a nova conquista maranhense, ao lado do vice-governador Carlos Brandão e dos secretários Márcio Jerry (Articulação Política e Assuntos Federativos) e Felipe de Holanda (Projetos Estratégicos).

28 de jul de 2015

Aberto prazo para pescadores do Maranhão se recadastrarem

28
jul 

Medida visa valorizar o profissional da pesca, sobretudo o artesanal, e melhorar a gestão na concessão dos documentos. Prazo será de 60 dias a partir de 27 de julho
Deputado-Júnior-Verde-PRB-2
Pescadores leitores do MA elegeram dois deputados estaduais e um suplente; Junior Verde, Edson Araújo e Fernando Furtado.
O Ministério da Pesca e Aquicultura abriu prazo de 60 dias, a partir desta segunda-feira (27), para 24.673 do Maranhão, inscritos no Registro Geral da Pesca (RGP), façam o recadastramento. Medida visa valorizar o profissional da pesca, sobretudo o artesanal, e melhorar a gestão na concessão dos documentos.
Registros
No período de julho a outubro do ano passado, foi feito um grande número de registros de pescadores nos estados do Pará e do Maranhão, com suspeita de data retroativa a 2013. Como grande parte desses registros não estava ligada a um processo ou mesmo não apresentava qualquer documentação, o Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA) pediu a Controladoria Geral da União (CGU) que realizasse uma auditoria para verificar a existência de fraudes.
Após a auditoria, a CGU orientou o Ministério a publicar uma Portaria suspendendo o registro de 24.673 pessoas no Maranhão e de 9.761 no Pará. Se fraudes forem comprovadas, os registros serão cancelados definitivamente. “Essa é uma oportunidade ímpar para aqueles que vivem da pesca possam garantir os seus benefícios, como o Seguro-Defeso”, disse Helder Barbalho.
Documentação
O recadastramento será presencial e solicitado por meio de formulário de requerimento de licença de pescador profissional, mediante a apresentação de originais e cópias dos seguintes documentos: de identificação oficial com foto; comprovante de inscrição no Cadastro de Pessoa Física (CPF); comprovante de residência ou declaração equivalente; 1 foto 3×4 cm recente e comprovante de inscrição no Programa de Integração Social (PIS) ou Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) ou Número de Inscrição do Trabalhador (NIT) ou Número de Identificação Social (NIS).
Se além desses documentos também for apresentado protocolo de pedido da carteira do RGP, será feita uma análise para verificar a possibilidade de que o registro mantenha validade com data retroativa. Se não houver o protocolo, e o pedido for aprovado, o registro valerá com a data atual.
Registro ilegal é crime
Recadastramento_Maranhao_Para-1Portar ilegalmente o Registro Geral da Pesca é crime. Por causa dessa prática ilegal, muitos pescadores ficam sem receber os recursos a que têm direito, como o dinheiro pago pelo Seguro-Defeso, e acabam enfrentado dificuldades para sustentar suas famílias durante os meses do defeso. Por isso, quem insistir em usar o registro mesmo sem comprovar que é pescador, terá que devolver os valores de Seguro-Defeso recebidos indevidamente e responderá processo por falsidade ideológica, como manda a lei.
Confira lista dos convocados para recadastramento:
Serviço:
Maranhão
Superintendência da Pesca e Aquicultura do Estado do Maranhão
Praça da República, 147 – Bairro Diamante – São Luís
O atendimento será feito em horário comercial.

19 de jul de 2015

Após rompimento de Cunha, governo fala em 'crise institucional gravíssima'

domingo, 19 de julho de 2015

 

Andréia Sadi e Marina Dias - Folha de São Paulo


rompimento formal do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), com o governo da presidente Dilma Rousseff levou integrantes do Palácio do Planalto a considerar o momento atual como o de "uma crise institucional gravíssima".

O termo, usado por ministros ouvidos pela Folha, foi definido após a confirmação do rompimento –uma reação de Cunha, que culpa o governo pelo que chama de ação orquestrada da Procuradoria-Geral da República para que o lobista Julio Camargo dissesse que deu US$ 5 milhões em propina para ele.

Até então, o lobista, investigado na Operação Lava Jato e que virou delator, negava ter passado suborno a Cunha.

Após o anúncio oficial do rompimento, na manhã da sexta-feira (17), os ministros José Eduardo Cardozo (Justiça), Edinho Silva (Comunicação Social) e Aloizio Mercadante (Casa Civil) discutiram uma reação ao posicionamento do peemedebista.

A ordem era a de não tensionar ainda mais a relação com o presidente da Câmara, tom adotado em nota divulgada pelo Planalto.

Ed Ferreira/Folhapress
O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), no dia em que foi acusado de receber propina
O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), no dia em que foi acusado de receber propina

Nos bastidores, o entendimento é de que o Executivo já estava fragilizado com o ativismo do peemedebista no comando da Câmara, somado ao desgaste pela crise econômica e às denúncias de corrupção da Operação Lava Jato, envolvendo petistas, aliados e integrantes do governo.

Assessores presidenciais afirmam que a nova revelação sobre Cunha "equilibra" o jogo, pois enfraquece o peemedebista no momento em que o governo enfrenta um inferno astral no Congresso, com derrotas em projetos considerados cruciais para o Planalto, como a aprovação do reajuste do salário dos servidores do Judiciário pelo Senado e a redução da maioridade penal pela Câmara.

Ministros enxergam no enfraquecimento de Cunha a abertura de espaço para novas lideranças se destacarem no Congresso. E há quem defenda que o Planalto deveria procurar o PSDB e tentar um acordo para isolar de vez o peemedebista e desestabilizar seu exército de aliados.

Por outro lado, assessores presidenciais dizem que as previsíveis retaliações de Cunha devem piorar a situação do governo, que já enfrenta uma crise de credibilidade –a aprovação de Dilma Rousseff está na casa dos 10%.

O PMDB, partido tanto de Cunha quanto do vice-presidente, Michel Temer, também vê a situação como aguda.

Na própria quinta (16), quando vieram à tona os termos do depoimento de Julio Camargo, Cunha e Temer reuniram-se na Base Aérea de Brasília com Renan Calheiros (AL), o presidente do Senado, que compõe a trinca de poderosos do PMDB e que também é citado na Lava Jato.

Houve um consenso: que a governabilidade não será retomada enquanto o petista José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça, que é chefe da Polícia Federal, estiver no cargo. Cardozo já teve de reafirmar a independência da PF após a pressão de sua própria legenda; agora enfrenta o maior partido aliado do governo.

Pedro Ladeira/Folhapress
O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, alvo do PMDB, diante de quadro de Tiradentes
O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, alvo do PMDB, diante de quadro de Tiradentes

Restará, na avaliação do comando do Planalto, saber qual será a atitude do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Está nas mãos de Janot uma eventual denúncia à Justiça contra Cunha e Renan. Isso, na visão do Planalto, enfraqueceria de forma mais decisiva os antigos aliados que hoje são adversários abertos do governo.

Janot está em campanha para ficar em primeiro na lista tríplice que Dilma irá analisar, em setembro, para comandar a Procuradoria-Geral. Uma denúncia contra "peixes graúdos" é vista como um passaporte para a recondução.

RETALIAÇÃO

A retaliação mais dura que pode vir de Cunha é ele avançar com um eventual processo de impeachment contra a presidente. Aliados do peemedebista falam que o "timing" desta decisão será determinado pela intensidade das manifestações contra Dilma marcadas para 16 de agosto.

Enquanto isso, na sexta, o presidente da Câmara notificou deputados que têm pedidos de impeachment parados no Congresso para que refizessem os ofíciospara cumprir requisitos legais.

Além disso, Cunha acelerou a instalação da CPI do BNDES, que preocupa o governo. Segundo a Folha apurou, petistas temem que o presidente do banco, Luciano Coutinho, seja instado a falar sobre supostos pedidos de ajuda a empresários para a campanha de Dilma em 2014.

18 de jul de 2015

Pai de Michael Jackson vai dar festa de $ 600 mil em São Paulo em comemoração ao seu aniversário de 87 anos

 

Pai de Michael virá ao Brasil e anunciou o evento em sua página na internet.
Festa será dia 26 de julho e está estimada em R$ 600 mil.

Glauco Araújo Do G1 em São Paulo 
Joe Jackson deve comemorar seu 87º aniversário em São Paulo (Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal)Joe Jackson deve comemorar seu 87º aniversário em São Paulo (Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal)
Joe Jackson, pai do cantor Michael Jackson, pretende comemorar seu 87º aniversário em terras paulistanas, no próximo dia 26 de julho. A notícia foi divulgada por ele em seu site oficial e também deu pistas de que virá ao Brasil em seu Twitter. A festa será feita em uma casa de eventos cujo nome é mantido sob sigilo e está estimada em aproximadamente R$ 600 mil.
 
O responsável por realizar a festa é o cerimonialista Júnior Donatto. “Fui indicado para cuidar da festa. Passei por vários processos seletivos durante dois meses. Na segunda-feira [13] batemos o martelo. Agora, tenho dez dias para decidir tudo e montar a festa toda, mas tenho experiência e consigo montar uma festa em até três dias.”
Donatto disse que o pai de Michael Jackson é simples, mas fez alguns pedidos específicos. “A exigência é de que seja uma festa elegante, com glamour. Não é para medirmos esforços.”
Uma dessas exigências é relacionada à comida que será servida na festa. “Ele quer comida brasileira, nada que seja relacionada à gastronomia americana. Por isso o  cardápio será assinado por Érika Meira, que também fez uma degustação do que será servido.”
De bebidas, Joe Jackson pediu bloody Mary, espumantes, sucos de caju e manga. Para comer, será servido bolinho de feijoada, de bacalhau, mini linguiça, dadinhos de mandioca com queijo coalho, coxinha creme, mini pastéis, bobó de camarão, iscas de peixe, baião de dois e escondidinho de frango.
Segundo Donatto, Joe Jackson deverá vir com alguns de seus filhos e possivelmente um dos filhos de Michael Jackson. “Ele também vai aproveitar para fazer divulgação de um musical sobre Michael Jackson no Brasil.”
A lista de 200 convidados ainda não foi fechada, mas Donatto confirmou alguns nomes de artistas brasileiros que serão convidados para a festa. “Vamos convidar Ivete Sangalo, Cláudia Leitte, Lucas Lucco, Fernando e Sorocaba, Anitta, Sandy e Júnior.”